Célula Espectroeletroquímica SEC-C

R$6.000,00

A Espectroeletroquímica (SEC) visa a investigação do mecanismo de reação eletroquímica e a estrutura da interface entre a solução eletrolítica e o eletrodo. O progresso notável neste campo e a tecnologia relacionada permitem que a SEC seja aplicada em amplas áreas.
Atualmente, a relação entre absorvência e potencial para sistema reversível ou quase reversível é teoricamente elucidada, com essa base a análise de características eletroquímicas torna-se possível para o sistema, o qual seria difícil com apenas o resultado do voltamograma.
Exemplo típico é o enzima redox citocromo c e azul de metileno.

  • Comprimento do caminho óptico de duas variedades (0,5 e 1,0 mm)
  • Projetado para usar o eletrodo de referência de 6,0 mm
  • Duas variedades de eletrodos de trabalho (Au ou Pt)
  • Ser capaz de usar em um espectrômetro padrão

 

Comparação de células de comprimento de caminho óptico de 0,5 e 1,0 mm

O tempo de estabilização da eletrólise para a célula de comprimento da trajetória óptica de 0,5 mm é teoricamente a metade, em comparação com a célula de 1,0 mm. É o oposto, para a concentração, quando o mesmo resultado para a célula de 1,0 mm é possível para metade da concentração em comparação com a célula de 0,5 mm. Você pode selecionar o comprimento do caminho óptico e o eletrodo de trabalho apropriado para sua finalidade de pesquisa.

Comprimento do caminho óptico Mérito Demérito
0,5 mm Alta velocidade eletrolítica Manutenção difícil
1,0 mm Fácil manutenção Velocidade eletrolítica lenta

 

Comparação do tempo de equilíbrio da reação de eletrólise

Para a comparação das células de comprimento do caminho óptico de 0,5 e 1,0 mm, há uma diferença entre os valores teóricos e experimentais. É em conseqüência das condições experimentais.
 

Fig.1-1. Absorvência para eletrólise realizada com célula de comprimento do trajeto óptico de 0,5 mm   Fig.1-2. Absorvência para eletrólise realizada com célula de comprimento de trajeto óptico de 1,0 mm
Fig.1-1. Absorvência para eletrólise realizada com célula de comprimento do trajeto óptico de 0,5 mm   Fig.1-2. Absorvência para eletrólise realizada com célula de comprimento de trajeto óptico de 1,0 mm

Um ferrocianeto de potássio 2 mM (K4 [Fe (CN) 6 ]) foi submetido a uma reacção de eletrólise a 0,6 V até a sua estabilidade, e KNO3 1 M foi utilizado como referência. A reação de oxidação foi monitorada pela comparação da absorvância em função do tempo em comprimentos de onda de 420 e 300 nm.

 

 

Célula de comprimento do caminho óptico de 1,0 mm

SEC-C Thin Layer Quartz Glass Spectroelectrochemical cell Kit  working electrode
 
O comprimento do caminho óptico 1.0 mm é mais adequado para medições de eletroquímica de espectro básico. Teoricamente, é possível obter o mesmo resultado que para 0,5 mm com uma amostra de meia concentração.

 

Catalog No. Descrição
013510 Kit de célula de espectroeletroquímica de camada fina de vidro de quartzo (Pt) SEC-C
013511 Kit de célula de espectroeletroquímica de camada fina de vidro de quartzo (Au) SEC-C
Componentes comuns
012906 Contra eletrodo de platina SEC-C
013512 Célula de vidro de quartzo de camada fina SEC-C
011501 Tampa de Teflon SEC-C
(010537) Tubo de purga 10 cm
Eletrodos de trabalho
011498 Eletrodo de trabalho de tela de platina SEC-C
012017 Eletrodo de trabalho de tela de ouro SEC-C
Produtos opcionais
012167 Eletrodo de referência RE-1B (Ag / AgCl)
012171 Eletrodo de referência não aquoso RE-7 (Ag / Ag+)

 

Célula de comprimento do caminho óptico de 0,5 mm

SEC-C Thin Layer Quartz Glass Spectroelectrochemical cell Kit  working electrode
 

A célula com comprimento do percurso óptico de 0,5 mm tem um tempo de eletrólise menor que a célula de 1,0 mm. O curto tempo de estabilidade para a eletrólise possibilita ter um resultado estável quanto à medição do solvente orgânico altamente volátil, detecção dos produtos instáveis de eletrólise, entre outros.
* Existe um eletrodo de trabalho específico para comprimento de caminho óptico de 0,5 mm. O eletrodo de trabalho para comprimento de caminho óptico de 1,0 mm não pode ser usado em células de quartzo de comprimento óptico de comprimento de 0,5 mm.

 

Catalog No. Descrição
012813 Kit de célula espectroeletroquímica de vidro de quartzo de camada fina (Pt) SEC-C05 
012814 Kit de célula espectroeletroquímica de vidro quádruplo de camada fina (Au) SEC-C05 
Componentes comuns
012609 Contra eletrodo de platina SEC-C05
012815 Célula de vidro de quartzo de camada fina SEC-C05
011501 Tampa de Teflon SEC-C
(010537) Tubo de purga 10 cm
Eletrodos de trabalho
012606 Eletrodo de trabalho de tela de platina SEC-C05
012607 Eletrodo de trabalho de tela de ouro SEC-C05
Produtos opcionais
012167 Eletrodo de referência RE-1B (Ag / AgCl)
012171

Eletrodo de referência não aquoso RE-7 (Ag / Ag+)

 

Exemplo de medição usando célula de espectroeletroquímica de tipo cuvete

Foi medido o espectro de absorção UV-visível e a absorvência do produto da reação do eletrodo, realizada com eletrodo opticamente transparente (OTE). O eletrodo de tela de ouro ou platina foi usado como OTE. A voltametria cíclica e Absorbância do ferricianeto de potássio 2 mM, como a referência da absorvância, realizada em uma célula de espectroeletroquímica de vidro de quartzo de camada fina SEC-C, são mostradas abaixo (Figura 2-1, 2-2).

 

Fig.2-1. Voltametria cíclica para ferrocianeto de potássio 1 mM.   Fig.2-2. Espectros de absorção do balanço eletrolítico para ferricianeto de potássio 2 mM eletrólise em potencial diferente.
Fig.2-1. Voltamperografia cíclica para ferricianeto de potássio 2 mM.   Fig.2-2. Espectros de absorção do balanço eletrolítico para ferricianeto de potássio 2 mM eletrólise em potencial diferente.

 

Foram também realizadas medidas simultâneas da voltametria cíclica e absorvência, bem como uma medida de eletrólise de potencial constante. A eletrólise, redução (Figura 3-1) e oxidação (Figura 3-2), da solução de ferrocianeto de potássio são mostrados abaixo.

Fig.3-1. A absorção muda para a redução do ferrocianeto de potássio.   Fig.3-2. A absorvância muda para a oxidação do ferrocianeto de potássio.
Fig.3-1. A absorção muda para a redução do ferrocianeto de potássio.   Fig.3-2. A absorvância muda para a oxidação do ferricianeto de potássio.